sexta-feira, 22 de maio de 2009

EU CONFESSO!

Quando a mente é assolada pelo vácuo e parece impossível discorrer sobre o que quer que seja, todos os temas se apresentam de exíguo valor. Não obstante ter como princípio nada dizer quando não sei o que dizer, a vontade irreprimível de estar com eles vence e as palavras vão saindo contrafeitas. Hoje nada direi senão que já não sei estar sem a sábia loquacidade do Mestre, a atrevida jocosidade do JG, a heróica vida-poesia da Mofina, o espirituoso criticismo da Saphou, o cartesiano cepticismo da Mac, a jubilosa constância do Privada, a virtual presença da DD, e a eco poesia da Teresa. Confesso que os tenho entranhados, na medida em que o podem estar.

11 comentários:

Mofina Mendes disse...

Fogo, até parece que vais partir, naquela estrada, onde um dia chegaste a sorrir..

jg disse...

Se possuísse a sábia loquacidade do mestre desconfiaria que debaixo do ténue atrevimento e jocosidade que me é atribuido estaria para aí um trolha armado ao chico esperto.

Blimunda disse...

JG, caraças! Que lucidez!!! Até fiquei varadinha!!

saphou disse...

Blimunda, a sua lucidez, sabedoria, amizade e eloquência também já se entranharam. escreve como poucos. Já agora, uma vez que quando os outodoors aparecem é para todos, divirta-se vendo os cartazes para as europeias que lhe forem aparecendo na estrada. Não há dúvida que o país está mergulhado na merda, até a criatividade paga se foi. E nós para aqui com tanto potencial.

mac disse...

Blimunda, também a sua racionalidade sensata se me entranhou.
Continuemos entranhadas, faz bem a tudo e não engorda, acho eu.

DD disse...

Pronto, também confesso: estou viciada.
Quando tenho 3 segundos para gastar, venho logo aqui ver o que tem a mágica Blimunda andado a escrever. E depois acabo por gastar 4 minutos e já não me sobra tempo para comentar.
Mas vou embora consolada.
Isto é egoismo?

jg disse...

"Quando a mente é assolada pelo vácuo..." não foi necessário completar a frase para mentir descaradamente.
Isto assim não pode ser.
Esta cisma de querer, à viva força, que eu aceite haver mais do que um fiozinho para segurar as orelhas, já me cansa.
Magia, era perceberem a relação que há entre o binário e a assimetria da cambota. Isso é que era!!!

Blimunda disse...

Ou que, não poucas vezes, falar demais arrasa com qualquer magia. E olha que as há, aos montes, JG! As magias! Não faço a menor questão, e acho que posso afirmar que as outras comentadoras partilham da minha opinião, que aceites à viva força coisa alguma. Aliás, aqui por obrigação ninguém faz um cu!

Mofina, Saphou, Mac e DD, entranhemo-nos!

privada disse...

Meu amor só agora me é possivel responder à chamada, boicotaram me a internet e sim, meu amor, com k raiva fikei por nao poder encontrar os meus parceiros e amigos de ideias virtuais, sim, amigos, porke nao veradde nunca confessaria a amigos ao vivo ou ke ja confessei a vos.

Vou me meu amor ke ainda tenho ke passar no dos editais, na da saphou e no mestre e isto a kk minuto cai.

Bjs

mac disse...

Entranhemo-nos sim, Blimunda, pode contar comigo.

jg, deixe lá que na realidade as orelhas não fazem assim tanta falta como isso e, além do mais, nem sempre caem quando o fio se parte, sabe-se lá porquê. Além do mais, magia é a cambota não perceber nada de binários.
E aceite esta verdade, porque é mesmo verdadeira: aqui, por obrigação ninguém faz um cu! [Fonte: Blimunda, a certeira]

teresa g. disse...

És uma kida! Mas cuidado com os vícios ;)

Queria dizer isto em linguagem de pês, para fazer dois em um, mas não sei fazer a linguagem dos pês. Não sei se isso significa que sou demasiado nova, demasiado velha ou demasiado burra, o melhor é não tirar elações, ok?

Pronto, vou-me à vida, não volto a dizer que me vou desligar dos blogs, senão aqueles camelos ainda me voltam a cortar a net mais uma semana.