segunda-feira, 18 de maio de 2009

COM OU SEM SENTIDO!

E se eu desatasse a escrever palavras umas seguidas das outras?

"Cansaço apneia desfocagem maleita frio bloqueio geral sonolência persistente tempo que não pára inutilmente usado fará falta estudar filhos casa jardim sol quente paredes gélidas razão de ser suspiro ansiedade fúria perorar debrum auto-compassivo fintar pancadas desvairadamente solto vapor em tom monocórdico irreprimível subterfúgios linguísticos".

Faria algum sentido?

12 comentários:

Mofina Mendes disse...

Faz-me um debrum na bainha, sim?

Blimunda disse...

Não! Só se o quiseres na orla.

Mofina Mendes disse...

Mas eu tenho lá orlas! Cada coisa...

Mofina Mendes disse...

Ornatos Violeta.

Há coisas que também me vêm à cabeça.

teresa g. disse...

'Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido. Eu não: quero uma verdade inventada. ...Mas bem sei o que quero aqui: quero o inconcluso. Quero a profunda desordem que no entanto dá a pressentir uma ordem subjacente.'Clarice Lispector

(Foi um dos primeiros posts de um dos meus falecidos blogs, lembrou-me)

Blimunda acho que isso foi uma proveitosa sessão de meditação. ;)

Adiós, caras, que me vou desagarrar dos blogs mais uns dias.

mac disse...

Blimunda, tudo faz sentido quando a gente quer. E a gente quer sempre, porque o homem é um ser racional.
Portanto, cara mia,
Cansaço (...) persistente (...)
pára inutilmente(...)
estudar (...)
fintar(...)
em (...) subterfúgios linguísticos.

DD disse...

Acho que nunca concordei tanto com o JG.
Blimunda, este foi um dos posts mais claros que já li.

privada disse...

Ei Blimunda parecias mesmo o Saramago! Tá mt bom!

saphou disse...

Este post é genial. Um texto poético ao mais alto nível, e eu sei do que falo, porque sou crítica literária de profissão.

saphou disse...

Não deixa de fazer uma poesia concreta. Uma experiência e tanto!

saphou disse...

leia-se: não deixe

Blimunda disse...

O que, na realidade, nos confere verdadeiro sentido é o sentido que sentimos fazer borbulhar nos outros.

Um especial "Olá" à DD de quem já sentia muitas saudades!