terça-feira, 14 de abril de 2009

INSONIA

A boca escancarada da noite
Os urros do silêncio
As teclas mudas
Não tilintam os cristais
Não estilhaçam a vidraça
Os amantes não sussurram
Não há sinos de igreja
O mundo acabou
O relógio dorme
O tempo não passa
Onde estão os latidos
Os galos os gritos
Os olhos do sol?
Na cama imensa
O corpo exausto
O vazio da tua ausência
E os mil anos dessa noite
Que me engole
Que me vomita
Líria Porto, roubadinho a um site que se chama "Casa da Cultura"

4 comentários:

saphou disse...

Eu estou aqui, acordada, amiga!

Blimunda disse...

Eu sei amiga. Eu também :)

jg disse...

Bulmelhos de cavelo?!

Mofina Mendes disse...

Nem diga nada, porque até tenho medo de ser de outro mundo.

Insonia, que é isso?