quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

OS BONS EM TUDO

Era uma vez um grupo de meninos muito vaidosos e possuidores de um desmedido orgulho na sua fardinha. Pouco lhes importava se pertenciam ou não a uma escolinha onde muitos outros meninos também tinham fardinhas, embora diferentes, mais escuras, sóbrias, menos brilhantes. Quando lhes perguntavam quem eram, onde pertenciam e o que faziam respondiam como se o nome do seu grupo fosse omnipotente, clarividente e grandiloquente – somos os Bons em Tudo.

Ora, como se sabe, os Bons em Tudo prestavam vassalagem ao Director Geral da Escolinha da Grande Nave da Rambóia. Um belo dia o Sr. Director que está lá no Governo a mandar no senhor Director que está na escolinha grande, que por sua vez está na escolinha grande a mandar nos senhores directores que mandam nas escolinhas mais pequenas, lembrou-se de reorganizar os diferentes grupos da Escolinha em Geral. Foi aí que a porca torceu o rabo porque os Bons em Tudo perderam a fardinha clarinha, o chapeuzinho característico, os carrinhos brancos às listas e o pior de tudo o crachá. Isso é que foi uma grande chatice! O seu espírito de grupo veio ao de cima e toca de se manifestarem da forma que melhor sabiam fazer – fazendo nada. Deixaram pura e simplesmente de brincar. Fazem de conta que brincam! Vão para a rua em bandos e deixam-se ficar com os seus ainda carrinhos brancos às listas a ver os outros meninos todos nas suas correrias diárias e em vez de se juntarem e fazerem uma força maior como a daquela menina do Euro e do Scolari que agora não me lembro como se chama, tratam de tirar boas sonecas e esperar que o tempo passe.
Ora isso é que é falar! O país está todo lixado mas os meninos lindos e Bons em Tudo capricham porque deixaram de ser Bons em Tudo passando a ser apenas mais uns meninos que pertencem e obedecem directamente aos seus directores das escolinhas Grande Nave da Rambóia.

10 comentários:

Mofina Mendes disse...

Tb kero ser escuteira...

Alegria disse...

Só esclarecer uma coisa que em tempos não esclareci, relativamente ao CIC.
Colégio Internato dos Carvalhos, ficou na altura no ar que eu tinha lá andado a estudar e o JG tambem, quanto ao JG não sei, quanto a mim nunc lá estudei mas vou lá 3 vezes por semana e quem lá estuda é o meu filho actualmente, dai eu conhecer muito bem o colégio.
E já agora lá tambem há ramboia...

jg disse...

Ó Alegria, que modernices são essas de ir três vezes por semana aos Carvalhos?!
Os teus meninos ainda mamam?!
Aquilo é para vir a casa no Natal, Carnaval (quando calha), Páscoa e Férias Grandes.
E no meu tempo, gajas só as sopeiras do refeitório e da camarata.
500tas vezes pior do que a tropa.
Os Rangers ao pé de nós, naquele tempo, eram meninos de coro!
Pareces a minha prima quando o filho foi prá tropa. Andava sempre atrás dele para o menino não passar fome nem frio.
Bailhamedeus...

Só por curiosidade, quem foi o da ideia de pregar com os teus miúdos no CIC?!

O tema da postagem da BLIMUNDA, é sobre outra fruta.
Ainda ontem deu nas notícias, à noite.

Mofina Mendes disse...

Alegria, que maldade... Ninguém merece andar no CIC, acredita!

Alegria disse...

Os meus filhos não mamam! E eu não sou desnaturada, o meu filho estuda no CIC porque pediu e porque quer e claro porque gosta.

Blimunda disse...

Alegria, face a tal declaração não me resta senão tirar-te o chapéu porque serás, certamente, uma mãe que não cabe em si de orgulho por ter sido progenitora de um ser possuidor de um precoce livre arbítrio o que assegurará a dispensa de muitos futuros dissabores. A ele e a ti. Nada como a transferência das nossas responsabilidades para cima dos ombros de uma criança. Não de uma qualquer mas de uma que em idade de saber escolher coisa nenhuma escolhe o seu próprio destino.

Mofina Mendes disse...

O miúdo não gosta das tuas cataplanas, é???

Alegria disse...

Por acaso não gosta mofina.
Blimunda o meu filho tem 13 anos penso que já não é uma criancinha, portanto já reflete, já pensa e já pondera, agora eu respeito o gosto dele, a partir do momento que o posso lá ter tenho todo o gosto em trabalhar para lhe dar tudo o que ele quer e que sirva para uma educação e um serviço escolar bom.

Álvaro disse...

Drª Mofina

Esta aberto no mestre as escrições para um grupo de escuteiros.

O menino da drª Alegria tão jovem já anda a estudar para arbitro como diz a Drª Bli ?

saphou disse...

Grande Posta como diria o Engenheiro!