sábado, 25 de outubro de 2008

POETAS? SÃO TODOS DOIDOS!



Melhor, só o poema pial.

8 comentários:

Jardineira aprendiz disse...

Pode parecer que não tem nada a ver, mas fazendo a associação com as palavras doidos, poesia de elevado calibre e gaitas de foles chega-se . E como perdeste a oportunidade ao vivo...

(Nota: eu adoro os doidos, claro está)

Jardineira aprendiz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jardineira aprendiz disse...

Já agora...

Chin Glin Din

Indo you pa la mi(e) (a)rada
atras de ias mies chabacas,

cun ei chin-dilin-glin-dina
cun ei chin-dilin-glan-daba
cun ei chin-dilin-glin-dina
se m(e) olvidou la guilhada

you virei atras pur eilha
i achei la puerta fechada...

cun ei chin-guilin-glin-dina
cun ei chin-dilin-glan-daba

Que yes aquelho mujeri
que (e)sta d(e)ba'la nuestra cama

cun ei chin-guilin-glin-dina
cun ei chin-guilin-glan-daba
cun ei chin-guilin-glin-dina
se m(e) olvidou la guilhada.

i (y)es l'gato d'l cunventu
que ven pa la nuestra gata...

Trai la (e)scupeta mujeri
qu(e) l'hei dar uma (e)scupetada...

Não haças* isso marido
que desconjuntas la cama...

Qui(e)n t(e) agarrara mujeri
n(a) aqueilha sierra granada...

con tres carros de lheinha
outros tres de retrama...

i un airico castelhano
que atiçara bien la chama...

umas tanazes de tres ganchos
para revolver las brasas...

Qui(e)n t(e) agarrara marido
no meiu d(e) aqueilha sala...

cun las pernas amarilhas
i la cor demudada...

los claristas a la puerta
salga meu maridu salga...
i you pur tras lhurando
nin que fuera d(e) mala gana...

Mofina Mendes disse...

Será andaço?

Os gaiteiros de foles devem tomar uns chás de alecrins e rosmaninhos, ai devem devem!

Jardineira aprendiz disse...

Ainda vais ter que me explicar essa dos chás...

Blimunda disse...

Doida sou eu, que não endoideço a um Sábado à tarde.

jg disse...

Depois de ouvir esta "coisa" e de ter lido o "Poema pial" atrevam-se, em qq circunstância, a insinuar que andei com a cabeça ao sol. Ou à chuva!!

jg disse...

Quem gostava particularmente de observar e romancear doidos e maluquinhos, era o António Alçada Batista.
Fazia-o de fazer inveja!!!