segunda-feira, 20 de outubro de 2008

PENTACULO

Sagrado Feminino ou Magia e Ocultismo

"O pentáculo - esclareceu Langdon - é um símbolo pré-cristão relacionado com o culto da Natureza. Os antigos imaginavam o mundo em que viviam dividido em duas metades: o masculino e o feminino. (...) Este pentáculo representa o lado feminino de todas as coisas... (...) Na sua interpretação mais específica, o pentáculo simboliza Vénus... a deusa do amor sexual e da beleza femininos. (...) Landgon decidiu não lhe revelar a mais surpreendente propriedade do pentáculo: a origem gráfica da sua ligação a Vénus. Ainda jovem estudante de Astronomia, ficara estupefacto ao saber que o planeta Vénus traçava, de oito em oito anos, um pentáculo perfeito no céu eclíptico. (...) Num tributo à magia de Vénus, os Gregos usavam o seu ciclo de oito anos para organizar os Jogos Olímpicos. Actualmente, poucas pessoas sabem que o calendário quadrienal das Olimpíadas modernas continua a seguir os meios-ciclos de Vénus. E menos ainda sabem que a estrela de cinco pontas esteve muito perto de se tornar o emblema olímpico oficial, tendo sido substituída à última hora pelos cinco anéis entrelaçados, que reflectem melhor o espírito de inclusão e harmonia dos Jogos. "
“O Código Da Vinci", - Dan Brown, p. 53 e 54.

Alguém um dia me disse: “Quanto menos souberes menos infeliz serás”. Apesar de já suspeitar de que se tratava de uma verdade insofismável, acabo de concluir não possuir já a menor dúvida de que assim seja. Ontem retomei a leitura do Código Da Vinci e logo após as primeiras páginas, sou levada a reforçar a ideia que já tenho há muito tempo sobre a Igreja Católica. Ninho de víboras!

5 comentários:

jg disse...

"Quanto mais souberes mais infeliz serás"

Na matemática linguística a ordem dos factores poderá não ser arbitrária.
O resultado salda-se entre o aparentemente insignificante "mais infeliz" e "menos infeliz".

Junte-se as claras bem batidas e leve ao forno...

Blimunda disse...

Perdão! Essa é a sua visão da coisa. E eu, a acreditar em alguém, acreditarei sempre no meu mestre.

Mofina Mendes disse...

Conseguiste chegar às páginas 53 e 54 d'“O Código Da Vinci"? «Santa» paciência! Já tentei ler a coisa, mas achei-a de tal maneira aborrecida que agora até fujo dos códigos de barra.

Cuidado com o padre mirone!!!

Mofina Mendes disse...

Ao leres este comentário considera o facto de que não me julgo muito infeliz.

Jardineira aprendiz disse...

Isto é verdade?! Não li o livro, mas tinha a ideia que aquilo era ficção.

De qualquer forma os ninhos de víboras aparecem facilmente onde há dinheiro e poder... eu diria que ser feliz é não estar muito perto de nenhum dos dois :)