segunda-feira, 2 de março de 2009

VINDICTA OU SENSO COMUM?

Os olhos dela brilhavam num misto de sacanice e vingança enquanto me relatava o episódio.
- Eh pá estava farta dos avanços descarados da gaja. Ele eram risinhos e decotes, cigarros fumados a dois na varanda, toques de mãos, conversas ranhosas sempre a roçar o mesmo. No dia em que a vi quase em cima dele no sofá passei-me.
- E então? Que fizeste? Pergunto-lhe já convencida de que a coisa tinha descambado para a baixaria.
- Nada de especial. Apenas a convidei para vir ter connosco à cama quando todos tivessem já adormecido.
- Convidaste nada! Estás a gozar comigo?! Só pode!
- E por alma de que santo é que eu gozaria contigo? Disse-lho, assim, com todas as letras.
- E ela aceitou?
- Qual quê? Imagina que em vez de ordenar ao único neurónio que lhe habita a cabecinha de rola para que funcionasse ainda que uma só vez que fosse e pensar que provavelmente ter-me-ia apercebido do que se estava a passar entre eles, achou que eu queria ter sexo com ela.

11 comentários:

Mofina Mendes disse...

Coitada, sempre a Lili... caraças pá!

Blimunda disse...

O mundo foi assaltado por elas Mofina. Acredita em mim que não te minto.

Funes, o memorioso disse...

E ele? Ele como é que reagiu?
Ele é que importa saber. Porque tenho a certeza absoluta que ficou tão atrapalhado e se enterrou tanto pelo chão dentro, que desapareceu, levando a outra a pensar, muito legitimamente, que o convite era para uma sessão entre mulheres.

Blimunda disse...

Funes, não me resta senão inferir da sua certeza que já lhe aconteceu o mesmo.

- É tarde, vou dormir.

Funes, o memorioso disse...

Já, Blimunda. E o que descrevi foi exactamente o que se passou. A minha namorada enterrou-se pelo chão dentro e eu tive que ir para a cama com o outro.

jg disse...

Anda-me o Funes armado em marialva...
Um gajo a partir de certa idade tem que aceitar que as experiências eróticas resumem-se à degustação de um pudim flan e a umas olhadelas, ao de leve, pelo rabo de umas viúvas.
Haja coerência!

privada disse...

vós mulheres sois tão fraquinhas a contar este tipo de historias e tão melosinhas, o melhor que pode acontecer entre a sua amiga e um otario é o aparecimento de uma loura, não há coisa mais genial, e nunca se comete o erro de deixar virar a navalha, agora se a sua amiga pedir contas, o gaijo vai acusa-la de quer comer a loura, ela tinha que ter aproveitado a oportunidade para fcar livre para o italiano, tao cedo não aparece outra mais tapada do que ela, é um caso tipico de Portugal e a CE sempre a competir com o lado errado

Blimunda disse...

Privada, privada, eu sei que você não nutre esse despeito todo pelas fêmeas. Nunca me fará dizer aquilo que não quero dizer, acredite. Quem é que lhe falou em competição, homem? Trata-se de trabalho comunitário em prol do bem comum. A minha amiga nem é banqueira nem nada!

privada disse...

Deixe que me explique melhor, o que quis dizer é que a deixa foi demais, e com certeza resultou na perfeição.

Blimunda disse...

V. é sacana! É uma no cravo outra na ferradura, heim?!!!

A novela ainda não acabou. Prepare-se que haverá desenvolvimentos em breve. Se pagar bem vendo-lhe os direitos para o seu novo romence.

privada disse...

Vá Blimunda nao se zangue comigo, garanto que lhe compro os direitos, a sua amiga tem é que manter essa estrategia, ainda nao parei de rir, convidar a loira pa cama, mas que afronta é essa , hahahahhaha, estou mesmo a ver, da proxima diz-lhe:- olha agora reparando bem concordo com o Gustavo as tuas pernas desnudas devem de facto ser muito finas, ou olha o gustavo disse-me que as tuas mamas são de silicone, podes deixar-me ver. Temos que chamar a Saphou onde é que ela anda