quinta-feira, 13 de novembro de 2008

A princesa

Anda aí uma linguaruda a ameaçar pôr as pessoas a um canto. Antes que me façam alguma intimação, resolvi tentar adoçar as bocas com um post.

Para as minhas sócias, amantes de livros e viagens, aqui fica um excerto do livro Viagem ao país da manhã’ de Herman Hesse. E mais uns complementos.


"E, cada um de nós, parecendo seguir ideais e fins comuns e lutar sob uma mesma bandeira, levava individualmente no seu coração, como força mais íntima e último consolo, o seu próprio sonho louco de infância. No que diz respeito ao meu próprio objectivo e destino de viagem, sobre o qual tinha sido interrogado pela Cátedra Suprema antes da minha admissão, era de natureza simples, ao passo que alguns dos outros irmãos se tinham colocado objectivos, que eu podia, evidentemente, respeitar bastante, mas não entender plenamente. Um, por exemplo, procurava tesouros e não tinha outra coisa na mente senão a conquista de um tesouro sublime, que ele chamava ‘Tao’, um outro, no entanto, tinha mesmo metido na cabeça capturar uma certa serpente, à qual ele conferia poderes mágicos e que chamava Kundalini. Em contrapartida, o meu próprio objectivo de viagem e vida, que já desde os anos tardios da adolescência se me apresentava em sonhos, era o seguinte: ver a bela princesa Fatme e, porventura, conquistar o seu amor."




Da ópera ‘A Flauta Mágica’ de Mozart, a ária em que Tamino sabe da existência da princesa Pamina através do seu retrato, se apaixona por ela e deseja encontrá-la.



(...)
E, se bem que seja obscuro
Tudo pela estrada fora,
E falso, ele vem seguro,
E vencendo estrada e muro,
Chega onde em sono ela mora

(...)

FP, Eros e Psique

10 comentários:

alegria disse...

Então e quem é a princesa?

jg disse...

Parabéns.
Uma postagem com muita classe.

(Felizmente a cx de comentários não consegue inquinar a postagem)

Mofina Mendes disse...

E não é que desta tenho de concordar com o jg?!?!

Assim, não vale...

Blimunda disse...

A história do velho e do burro repete-se a cada passo na vida das pessoas. Para que conste, não que isso tenha particular interesse para quem quer que seja, hoje tem sido um dia de cão para mim. Jardineira, ainda não tive tempo de ler, com os olhos que me merece qualquer postagem de qualquer uma das minhas sócias, a tua "Princesa". Assim que possa farei o meu comentário com o devido cuidado de, com isso, não inquinar a postagem.

alegria disse...

Inquinar, pronto então e agora?

Jardineira aprendiz disse...

Tou à pressa deixem-me responder só à Alegria: a partir de uma certa idade voltamos à infância e voltamos a gostar de contos de fadas ;) A princesa é quem tu quiseres.

Blimunda disse...

E, inda tonto do que houvera,
À cabeça, em maresia,
Ergue a mão, e encontra hera,
E vê que ele mesmo era
A Princesa que dormia.


Há quem diga que as cartas são de quem as escreve. Eu digo que, à semelhança das cartas, tudo o mais que existe no universo individual de cada um a ele, exclusivamente, pertence. Talvez seja um entendimento egocêntrico da vida mas não será o egocentrismo um motor vital para cada um de nós? Entendo o último verso do Eros e Psique, transcrito no início do comentário, a forma poética de transmitir o que acabei de escrever.

Jardineira aprendiz disse...

Jg, Mofina, assim não vale, ia babando o teclado do computador.
Os comentários fazem também parte do post, mas não me parece que haja nenhum risco de inquinação.

Blimunda estas histórias e este poema são tão ricos em simbolismo que são passíveis de muitas interpretações. E, se pensarmos na introdução que o Pessoa escolheu para o poema, podemos imaginar que mesmo que elas sejam contraditórias podem ainda assim ser verdadeiras. Suponho que a nossa interpretação tenha muito a ver com a nossa forma de pensar, as nossas vivências particulares, ou, para usar um termo chique, com os nossos paradigmas. Não será, por isso, uma forma de egocentrismo se nos encontrarmos nelas. Na realidade só nos podemos encontrar nas nossas interpretações, e não nas dos outros. Foi por isso que eu disse à Alegria que a princesa era quem ela quisesse.

Carla Silva e Cunha disse...

Gostei...tomarei a liberdade de ir passando pelo seu blog para ver as novidades

bom domingo

carla

http://www.arte-e-ponto.blogspt.com

mac disse...

Que se passa por aqui? Há 3 dias que nem dizem nada, na última semana foram só reproduções...

Andem lá, vá, que isto assim é um desconsolo...