quinta-feira, 13 de novembro de 2008

O AMOR NOS TEMPOS DE COLERA

"- E até quando pensa o Senhor que podemos continuar neste ir e vir dum caralho? – perguntou-lhe.
Florentino Ariza tinha a resposta preparada há já cinquenta e três anos, sete meses e onze dias com todas as noites.
- Toda a vida – disse."

"Amor nos Tempos de Cólera" - Gabriel García Márquez

Li “Cem anos de Solidão”, se a memória não me atraiçoa, há uns quinze anos. Num tempo em que o meu poder analítico e introspectivo se centraria mais em frivolidades extasiantes da vida prática, não obstante o prazer que me provocou a leitura do livro, confesso que não terei sabido extrair dele mais do que isso. O prazer da leitura. Vou relê-lo brevemente.

“Amor nos Tempos de Cólera” encheu-me as medidas. A ficção move-se dentro do imaginário do leitor a uma velocidade vertiginosa desembocando num final feliz contra todas as reais expectativas geradas pelo decorrer inexorável do tempo. O amor platónico de Florentino auto-alimenta-se, obstinadamente, de esperança sem o menor indício de presente ou futura aceitação e retribuição, depois de repudiado pela sua “Deusa Coroada” e subsiste nas suas primeiríssimas forma e grandeza, até ao dia em que, finalmente, passado meio século, virá a completar-se na alma e no corpo de Firmina quando ambos são já septuagenários. Numa idade em que o amor é considerado obsceno ambos fazem pleno uso de direito do seu livre arbítrio para, finalmente, viverem o resto dos seus dias como lhes dá na real gana.

Como em todas as boas obras, perdi-me algures entre a ficção e a realidade e continuo sem saber onde estou.

22 comentários:

jg disse...

Quantas vezes, pedalando impiedosamente mata adentro, no pico do verão, vejo pinheiros de Natal magníficos.
Reconheço que haja quem só os identifique se estiverem ornamentados com os enfeites apropriados.
Ás tantas é por isso que não são muito dado a leituras de romances...
Pelo-me por originais. Meus.

jg disse...

..."Ás tantas é por isso que não são muito dado a leituras de romances..."

Leia-se " que não sou" em vez de "que não são"

O que duas letrinhas conseguem fazer!!

Mofina Mendes disse...

Em resumo, nunca é tarde! Há objectivos que sempre se alcançam, basta não desistir.

alegria disse...

Eu seja cegua se ainda agora vi um hino dedicado a minha pessoa e agora já não vejo.
As tantas bebi de mais!!! ao almoço!!! UFFFA..

alegria disse...

Leia-se cega, e não cegua.

Mofina Mendes disse...

Alegria, está cheia de razão... Parece bruxedo, eu seja surdinha!

alegria disse...

Até que "al fin" alguem me dá razão, parece que estavam todos zangados comigo por eu ter declarado em publico que era feliz.
E VIVA LA VIDA.

Blimunda disse...

É admirável a capacidade que algumas pessoas têm de se auto-coisificarem ou, talvez melhor, de se auto-alegorizarem. Fantástico!

Mofina Mendes disse...

Blimunda, não se faz... Põe lá o rico do meu Ricky!

alegria disse...

Ai então não é!Nem emaginas!
Ó mulher porque sofres tu em silencio?

alegria disse...

Olhem estive cá a pensar, e tive uma luz que me disse, (Que tal um jantar de Natal?)
Vou pensar onde podemos jantar o nosso bacalhau, quentinhos e felizes depois eu explico porque sou eu feliz.
Olhem vou fazer umas pesquisas.

Blimunda disse...

Mofina, mas tu estavas a vê-lo? É que eu não! Pensei que estava mal htmlado. O Vídeo não tinha embed. Vá lá, posta-o tu que eu agora não posso. Título: HINO À ALEGRIA
VIVA LA VIDA LOCA

Blimunda disse...

Alegria querida, deixa estar que quando eu decidir dar-te a conhecer os meus verdadeiros estados de alma, serás a primeira a saber. Combinado?

alegria disse...

Pois lá terá que ser.

Mofina Mendes disse...

Ora bolas, não dá mesmo para postar. Eu vi porque cliquei no link!

Há-de haver outro, esperem aí...

jg disse...

Atenção, tenho reservas em sentar-me à mesma mesa com pessoas que conseguem ver luzes que falam.
Tarda nada ouvem vozes que iluminam.

Quanto ao hino, "...VIVA LA VIDA LOCA"
falta a vírgula a seguir à palavra VIDA.
Parece que não, mas sem vírgura altera o verdadeiro sentido do hino.
O que uma vírgula consegue fazer!!

Mofina Mendes disse...

jg, tás é armado em importante... Não gostas de bacalhau?

Anónimo disse...

Há comentários que me deixam triste, pois aqui há espertos, inteligentes
e convencidos(as) que não se enxergam que se ofendem com merdices e ofendem com grandes poios!!
Vivam todas as Alegrias, incluindo o Hino!!
V.C.

mac disse...

"Woman without her man is nothing" - escreveu o professor. E ordenou: pontuem!

Pontuação masculina:
Woman, without her man, is nothing.

Pontuação feminina:
Woman: without her, man is nothing.

A pontuação é tudo.

Blimunda disse...

Cum caneco, VC. Desta vez tenho que te tirar o chapéu porque conseguiste uma proeza e tanto. Não te percebi. Li e reli todos os comentários e não é que não consegui identificar nem ofensores nem ofendidos?!!! Não estarás a ficar pó velhote, respeitoso e rezingão?

mac disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
mac disse...

Há sobremesa? Posso comer?