quinta-feira, 27 de novembro de 2008

JUNK FOLDER

Cum caneco! Cum caraças! Cum raio que os carregue, corja de tarados e taradas, comedores da santa quietude empresarial e divino esforço profissional. Está uma pessoa muito compenetrada na sua obrigação de execução exemplar e dedicada ao trabalho e é bombardeada com torpedos destes. Atentai no calibre do assédio.

“Olá! Acabámos de nos abrirmos. O nosso endereço na rede... Temos vídeos e fotos a qualquer gosto, incluindo hard kor, chuva de ouro, zoofilia, etc. Estais limitados apenas por sua fantasia. Montes de pornografia clássica dos anos 70 e 80. Entra, pois a velocidade de carga não está limitada. www.nacionalpussilga"


Não fosse eu uma pessoa compenetrada e bem resolvida a vários níveis, outros nem tanto mas isso agora não interessa nada, já estava de olho posto no tal “nacionalpussilga". Estes gajos não desarmam mesmo! Será difícil perceber que se eu estivesse interessada nessa coisa do “nacionalpussilga” não estaria até agora à espera que uns energúmenos desclassificados ma pusessem olho adentro, salvo seja?

Ainda assim há coisas que me fazem uma certa confusão mental: “Acabámos de nos abrirmos”. Esta declaração referir-se-á exactamente a quê? Só pode ser ao que estão a pensar e que eu pensei também assim que pus os olhos no url. Pois! Tem lógica! Só mesmo à vimada! Desavergonhadas! Galdérias! Se fossem mas era cavar terra!

11 comentários:

menina e moça disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Blimunda disse...

Ufffff!!! E não é que não tinha mesmo visto o que tinha feito? Fogo! Ca susto! Que negligência a minha! Acredita menina, que não tive sequer a curiosidade de ir ver do que se tratava, visto saber de cor, sem necessidade de ver, do que era. Só depois de ser advertida por uma menina e moça que resolver apagar o seu comentário é que vi com olhos de ver e...caramba! Ca susto! Perdoem-me a inconsciente leviandade, minhas queridas sócias.

Mofina Mendes disse...

Na continuação do circo... eh, eh, eh

Blimunda disse...

Minha Nossa Senhora dos Aflitos, socorro! Mofina, ajuda-me que já não sei se deixe ficar isto como está se faça o milagre do "Eu? Não! Não escrevi nada!" Imagina que em menos de 3 horas temos mais de 50 visitas ao quadratura graças ao serach pelas palavras mágicas que maquilhei! Acreditas? E agora?Quéqueufaço?

Mofina Mendes disse...

Podíamos começar a fracturar, não?!?!

Mofina Mendes disse...

Vendem-se pinheiros de Natal com neve incluída.

Mofina Mendes disse...

Tudo por uma tuta e meia.

alegria disse...

E tambem paninhos de cozinha com pikot.

mac disse...

Ummm, devo estar lerdinha outra vez, percebi o artigo mas não o comentário ao comentário entretanto apagado! Terá sido a publicidade involuntária ao local?! Se for por isso, Blimunda, não se preocupe porque os serviços existem para dar resposta a necessidades. Graças a Deus e ao Diabo.
Mofina, mesmo assim sem perceber nada, não deve valer a pena a fractura...
:)

Blimunda disse...

Pois Mac, não está lerdinha, de todo. Foi exactamente o que aconteceu. Imagine que caí na tolice de fazer copy/past da porcaria da mensagem sem verificar primeiro do que se tratava. Vai daí que uma menina mais atenta fez o favor de me alertar para o peso do conteúdo. Isto evidentemente depois de ter desmaiado meia dúzia de vezes. Bem, maquilhei o link, mesmo assim não queira saber a chuva de visitas que o tasco tem tido desde essa hora. É que o verdadeiro link ficou linkado a nu ao Quadratura. Enfim, só coisas que nos ralam e que ao diabo agradam!

Jardineira aprendiz disse...

Há dois anos comecei a fotografar uns passaritos que se chamam rabirruivos e chamei-lhes rabos ruivos no blog (cores). A partir daí começaram a cair-me lá uma quantidade de enganados à procura de imagens de rabos. Confesso que me deu um gozo danado imaginar a frustração deles quando chegavam ao blog e descobriam rabos bem fornecidos de... penas! :D

Pronto, e graças a este comentário também já devem vir aqui parar uns tantos à procura de rabos. É assim que se aumentam as visitas a um blog minhas amigas! Vamos facturar, sim, que a crise está aí para todos!