segunda-feira, 10 de novembro de 2008

ANONIMATO

Se alguém falar de Joseph Ratzinger, George W. Bush ou de Bin Laden, a maioria de nós saberá relacionar o nome a uma personalidade. Mas saberemos nós alguma coisa mais sobre estas pessoas? Quanto a mim, pouco ou nada sabemos daquilo que, efectivamente, são. O mesmo se aplicará a muitos ilustres conhecidos e outras tantos desconhecidos. Nada do que nos chega ao conhecimento é retrato daquilo que somos. Damos aos outros partes segmentadas de nós, amanhadas segundo aquilo que se nos afigura mais conveniente. Isto é: palha aos burros, papas e bolos aos tolos, e, talvez um pouco mais do que isso aos outros.

O novo mundo da blogosfera tem como motor principal uma espécie de código deontológico que se rege pela ausência de BI substituída pela existência de um nome que se veio a designar de “nick”. Os inter-agentes relacionam-se por meio do seu uso, e, habitualmente, mantêm-no nas suas intervenções. O nick identifica o blogueiro. Pode ser que tenha alguma coisa da pessoa que o usa, mas não é o seu BI. Segundo o meu ponto de vista, o bom cumprimento do dito código deontológico blogueiro implica que se use sempre o mesmo nick, por forma a que se possa identificar um comentário ou uma postagem, com determinada personagem. Ora, assim sendo, comentários anónimos são de ninguém. Existe, portanto, uma não identificação com qualquer personagem, mas sim uma forma de se escrever banalidades ou não, sob uma capa que pode ser de qualquer um. É uma clara e evidente falta de carácter dentro de um código que apenas se aplica nos meandros do blogger. Nada mais do que isto.

4 comentários:

Mofina Mendes disse...

Boa semana, Maria Blimunda Anómima da Costa!

A segunda-feira já vai a meio, alegra-te...


jiiiiinhos

mirone disse...

Letra.........e mais letra

mac disse...

Blimunda, que rigidez! Por pricípio não me anonimo mas também não lhes tenho esse asco... Acho que há casos e casos.

Blimunda disse...

Mofina, boa semana pata ti também amiga. A terça também...

Mirone, e tu a dares-lhe...

Mac, asco nenhum! O problema é que os casos de anonimato que por aqui aparecem, normalmente são sempre "casos". Mesmo assim não tenho nada contra eles, pelo contrário até porque subscrevo a famosa frase: "Falem mal mas falem de mim". Este post foi feito em homenagem a um comentário de um post anterior gentilmente feito pelo meu querido ex-sócio Mirone. Beijinho VC.